... na busca dessa famigerada raça chamada Jornalistas 2.0 em Portugal
13
Out 09

Na próxima, sexta-feira, irei reunir com a orientadora de modo a definir de vez o objecto de estudo do meu projecto, procurando dar ordem ao caos de conceitos e ideias que, como poderão perceber pelo testamento vomitado abaixo, ainda me envolve. Contudo, há um conjunto  de pontos que eu gostava de levar mais  esclarecidos. O principal coloca-se na forma de uma pergunta

Deverei cingir o meu estudo à presença dos jornalistas nas redes sociais ou acham pertinente ampliar o âmbito do estudo, abrangendo outras ferramentas Web 2.0 como os blogues, as wikis , os serviços de Instant Messenging, entre outros que podem interferir igualmente na forma como o jornalista se movimente dentro do mundo online?


Sintam-se à vontade para propor novas sugestões que considerem pertinentes. Todas as ajudas são poucas na missão a que me propus de encontrar e a estudar até ao tutano o “bicho” jornalista no habitat Web 2.0… :-D


Olá Tiago!
Deixo aqui a minha opinião, espero ajudar-te.

Olhando para a tua pergunta de investigação acho que existe à partida um problema: "redes sociais online" parece-me um âmbito de investigação muito ambicioso. Não achas que isso é um campo de análise muito vasto para uma tese de 12 meses? Penso que no enquadramento teórico tenhas que passar um bocadinho pelo que se entende por redes sociais online e dar exemplos, mas para o teu estudo propriamente dito, não achas melhor cingires-te apenas a uma - ou duas no caso de queres ter objectos de comparação - redes sociais (as que achares que são as onde andam mais jornalistas à pesca de informação), para poderes fazer um estudo mais aprofundado que te permita aferir o que pretendes?
A segunda coisa que eu achei um pouco estranha é colocares a questão com um "OU". O facto de até poder ser o caminho para a sobrevivência não invalida que não possa ter problemas éticos e vice-versa, não é? Digo eu!!

A minha ajuda para a questão de investigação (Exemplo com a rede social Facebook): Os jornalistas portugueses no Facebook: o caminho da sobrevivência?

Assim penso que focas mais o estudo e depois até pode ser que venhas a verificar que esse é o caminho para a sobrevivência dos jornalistas e paralelamente provar que existem problemas éticos inerentes. O facto de não colocares isso na questão de investigação não invalida que não obtenhas conclusões nesse campo e que não dissertes sobre elas ;)

Pronto, desculpa o testamento, mas a culpa é tua, que pediste opiniões! :)
marilia a 13 de Outubro de 2009 às 12:38

De
Nome

Email

Url

Guardar Dados?



Email

Password



Comentário

Máximo de 4300 caracteres




mais sobre mim
Tema do Projecto
JORNALISTAS 2.0: PROBLEMA OU OPORTUNIDADE NAS REDACÇÕES DA IMPRENSA DIÁRIA PORTUGUESA? (ainda em estudo. queria usar a palavra conversação algures...)
Autor
Tiago J. Reis
Âmbito
Mestrado em Comunicação Multimédia | Multimédia Interactivo pela Universidade de Aveiro
Ano Lectivo
2009/2010
Orientadora
Lídia Oliveira Hélder Bastos (co-orientador)
pesquisar blog
 
comentários recentes
Olá professor,Obrigado pelas informações. O cenári...
Olá Tiago. A data alternativa a 20 de Janeiro é na...
Eis algo que pode dar jeito: O projecto Beamups (w...
Sim, bastante pertinente para quem está a estudar ...
Concordo com a Teresa. Por acaso essa apresentação...
Esta apresentação está muito interessante: ilustra...
Na 2ª feira eu pergunto ao segurança.
Não dei conta, mas se entretanto ninguém a encontr...
Viva Tiago :PÉ só para te dizer que o I am Erasmus...
Guiei-me pela questão que tens ali ao cantinho, so...
subscrever feeds
blogs SAPO